Doce de vida

Pulei na cama fofa e caí sentada. Joguei meus morangos para o alto e fiz deles uma chuva bonita. Depois soltei os confetes, jujubas, chocolates e suspiros. Suspiro. Por um momento me vi cansada só por estar ali. E então resolvi desaparecer em um lapso de tempo, enquanto posso usar o “por enquanto”. Não é hora de decidir, é hora de deitar e esperar passar. Me obriguei a aceitar que as vezes a única solução é esperar que ela chegue na sua cabeça, bata na porta e devolva tudo o que você jogou para o alto e estava esperando voltar multiplicado. Sendo assim, estou a esperar uma vida carregada de momentos dóceis.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s