Príncipe encantado fake

Sabe quando você se pega na metade do pote de nutella, calculando quanto vai engordar depois de devorar tudo isso, já que você certamente sabe que vai acabar com todo o conteúdo da embalagem, e então pensa: O que raios estive fazendo na minha vida? De repente, suas amigas te jogam a pergunta que você fugiu por tanto tempo: E aí, fulana, porque raios você gosta dele?O que ele tem de especial?
Obviamente, para sua não surpresa, não vem nada na sua cabeça. Você de fato não tem ideia do que andou acontecendo no tempo em que esteve no piloto automático. Você o achava perfeito, não achava? Era tão amável, amado, agradável,e você nem ao menos consegue descrever o porquê dessas partes. Você realmente pensou que fosse ficar do lado dele para o resto da sua vida, não pensou? Mesmo ficando entediada com todos os papos vazios dele. Então, talvez agora eu te responda o início da sua crise existencial. A vida te deu um príncipe encantado fake.
Ele de fato te tratou como uma princesa, no começo. Ele te buscava, te levava no seu restaurante favorito, o qual coincidentemente também era o dele. Te convenceu que queria casar com você logo no primeiro encontro, mas abrandou logo que disse que as coisas deveriam ser feitas com paciência, e te conquistou quando te ligou depois daquele dia em que você nem ao menos o beijou. Ele te ligou muitas vezes mais. E mentiu sobre como gostava de ler ou sentar no boteco mais besta da esquina só para tomar uma cerveja no meio da semana.
Sua realidade era convincente. Ele também tem um cavalo branco, ele tem engajamento social, passe livre em qualquer lugar ou festa, são tantos amigos não é? Suas amigas o achavam encantador, ele levava flores para sua mãe, e lavava os pratos do almoço do domingo. Mas te deixava esperando.
Ele te fazia esperar toda vez que tinha algo melhor para fazer a você. Quando estava digitando em qualquer janela do whatsapp e você sabia muito bem do que se tratava. Quando tinha que assistir o jogo com os amigos por sete noites da semana. Quando te ligava meia hora antes de qualquer evento e te mandava ficar pronta. E você se virava nos 40, 30, 20 para ficar linda e desfilar do lado seu príncipe fake. Mas ele chegava e só reclamava do quanto não conseguiu arrumar o cabelo dele como queria, ou como você estava atrasada, ou como se arrumou demais e sua saia estava curta. E ainda quando você preparava um jantar, você esperava horas e esquentou a comida quantas vezes? Lembra dessa? Para no fim ele ainda recusar o vinho que você escolheu.
Também sei que você tentou desistir. E que quando isso acontecia o velho e bom príncipe voltava. Te fazia mil promessas de mudança, e de fato mudava, por uma ou duas semanas. Até provocar em você aquele efeito antigo e conhecido de insegurança. Com ele, você se sente fraca diante das críticas, você se sente burra, desprezada, feia e a última pessoa do mundo. E não, ninguém entende, afinal, é ele. O mais simpático, sorridente e gente boa do mundo.
Eu sei que você já está na décima tentativa de abandonar essa automutilação. Que tem certeza que vai para décima segunda. Que ele foi para uma balada de negócios ontem e ainda não ligou, não é? E que você já mandou algumas indiretas por mensagem, mas não quer parecer louca, já que no fundo você sente.
E não está sentindo errado. Não despreze o que está dentro de você. Príncipe encantado não faz te sentir um lixo descontrolado, um ser abominável e ininteligível, incapaz de tomar as rédeas da própria vida. Príncipe encatado não te deixa do lado para se olhar no espelho. Ele não vem provido de cavalo branco, costuma ser bem diferente de você, mas te estimula a ser e a se ver como alguém melhor, todos os dias. Príncipe encantado te estimula a ter presentes diários de compaixão e amor para com você mesma. Ele não é esse cara que te faz boicotar a academia esperando para jantar, e te dá o bolo. Nem o cara que te faz comer um pote de nutella chorando.
Talvez você consiga ver que o erro não está em você. Que a ex dele não era tão louca como ele descreveu. Que se ele não conseguiu parar com ninguém até hoje, tem algum motivo que não o fato dele ser incompreendido por um mundo tão cruel. Mas principalmente, tente entender que você não vai salvar alguém que não quer ser salvo. Nem ele, nem parte alguma do mundo. Você não consegue, sozinha, impedir que um navio afunde.
Abandone a causa agora. Deixa esse pote de nutella para o dia que bombar na faculdade, ou bater a laterna do carro na parede da garagem, ou para sua TPM. Antes de salvar qualquer ser naturalmente afundado, salve a você. Invista na causa. O seu príncipe vai aparecer quando você descobrir que não existe príncipe. Existem pessoas, que erram, mas que quando errarem vão te contar isso, e pedir desculpas. Existem pessoas não narcisistas que vão caminhar ao seu lado, e não te puxar para baixo. Se mantenha acima do nível do mar, e saía dessa lanterna dos afogados particular. Respire fundo, recuse o fake, como diria o ditado, pela frente há mundo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s